Pular para o conteúdo

Ser fiel emagrece

Dieta da lua, dieta dos pontos, dieta da sopa… Você já ouviu falar em todas essas. Mas e dieta da fidelidade?

Pois é, ser fiel emagrece, eu posso provar.

Eu sempre tive problemas com a balança, o tal do efeito sanfona me acompanha há tanto tempo que eu não sei como ainda não virei o novo Luiz Gonzaga. É assim com você também?

Acontece que a pandemia fez tudo se tornar ainda mais difícil. Em 2019, eu estava com aproximadamente 80 quilos (tenho 1,80m de altura), o que já não me deixava satisfeito. O que acontece foi que, com o isolamento social, meu nível de ansiedade aumentou escandalosamente. Eu busquei fugas em duas coisas: apostas esportivas e comida errada. Ambas me destruíram, ou quase.

Eu sempre fui uma pessoa responsável e de palavra, então usei dessa ferramenta (meu comprometimento com a minha palavra) para me forçar a emagrecer. Fiz um grupo no Whatsapp que tinha como membros minha namorada e eu, apenas. Falei que prometi pra mim mesmo que iria fazer exercícios todos os dias, cortar alimentos errados e, então, publicaria tudo no grupo, para provar que cumpri. Deu errado. Como o compromisso era apenas comigo mesmo, era uma promessa de mim para mim, não tive sucesso.

Fiquei frustrado e tentei várias outras coisas: academia, correr no lago da minha cidade, correr na pista, jejum intermitente… Eu só piorava. Cheguei aos absurdos 107kg, 32 a mais do que já tive com a mesma altura (em 2016 pesava 75kg).

Foi aí que eu resolvi usar a minha última cartada: fazer uma nova promessa no grupo que criei com a minha namorada, mas, dessa vez, equiparando a promessa ao meu nível de fidelidade com ela. A promessa dessa vez era de registrar tudo que eu comia e bebia, de preferência enviando fotos. Em outras palavras, se eu comesse ou bebesse qualquer coisa e não contasse a ela, seria o mesmo que traí-la. Qualquer momento que eu tentava me enganar e quebrar a regra de registrar o que comia, eu lembrava da vinculação à minha fidelidade com ela.

Vale mencionar que tinham algumas excessões:

  1. Eu não precisava registrar água, chás e cafés e bebidas feitas em cápsula (daquelas Dolce Gusto)
  2. Eu não precisava registrar quando estava com ela
  3. Eu não precisava registrar Halls sem açúcar

Eu comi bem o tempo todo? Não, mas eu mandei tudo. Eu exagerei como exagerava quando ninguém tava vendo e não tinha promessa nenhuma? Não. A prova é que quando o primeiro período da promessa acabou, eu escaralhei a comer errado.

Foi assim: o primeiro prazo que eu me dei foi de um semana. Passei os sete dias cumprindo à risca, mas depois que acabou o prazo inicial da promessa, aproveitei que a regra não estava valendo e comprei uma pizza (a melhor que já comi na vida) tamanho família, sabor lombinho especial com cream cheese e geleia de amora, com bordas de chocolate, e comi sozinho (uma parte à noite e outra na manhã seguinte).

Isso mostrou que eu estava com uma ansiedade por comer errado ainda forte, e que só estava me contendo por causa da promessa. Mas tudo bem, decidi renovar o prazo e tentar de novo. Aliado a isso, entrei na academia e passei a registrar lá também todos os meus exercícios e treinos. Eu estava diferente, mais motivado, menos pressionado e menos ansioso. As VÁRIAS vontades de comer errado foram dando espaço à satisfação de ver o resultado da balança: perdi 5kg em uma semana e mais 5kg na segunda semana. Decidi renovar o prazo por mais tempo e sigo emagrecendo. Já estou começando a fazer musculação (antes eu ia à academia apenas para correr na esteira) e ter mais energia. O fôlego também melhorou muito.

 

Tudo isso porque eu jamais traí, jamais trairia e jamais descumpriria uma promessa equiparada ao meu nível de fidelidade pela minha namorada. Rumo aos 80kg, fidelidade emagrece.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.